domingo, 12 de outubro de 2008

Sugestão de disco: Skank - Estandarte


O Skank quando não se mete a fazer mnúsica com a intenção de ser trilha de novela, vai muito bem. O novo disco, Estandarte é a prova disso. Enfim eles acertaram e abriram mão de fórmulas chatificantes e mercadológicas demais. Agora eles se libertaram de uma fase que me distanciou da banda. Esse perído começou com o disco Ao vivo MTV, surgido já num tempo em que a fórmula sucessos+platéia lotada+alegria demais começava a dar sinais de esgotamento.

Em Estandarte, a sensação é que a banda está mais livre e como foi definido pelos próprios, as influências vieram da própria história da banda. Ponto para eles. Disco legal, músicas suingadas, sem alegria excessiva. E, até para os que torcem o nariz para o quarteto, vale dar uma ouvida no albúm. A produção é assinada por Dudu Marote, que na década de 90 trabalhou em discos campeões de venda, inclusive O Samba Poconé, do Skank.

É nesse trabalho, que a banda volta a usar recursos eletrônicos, como fizeram muito bem no disco Maquinarama. Mesmo não seguindo temática única, as faixas do álbum não soam desconexas. enfim, o trabalho tem clima, coisa importantíssima. Entre as faixas mais legais estão Pára-raio, cuja letra é fruto de parceria com Nando Reis (ele também participa de outras letras em Estandarte); Ainda gosto dela, com participação de Negra Li e potencial para rádios, nos vocais; Assim sem fim, com um quê de britpop e Notícias do submundo.


Baixe aqui: Skank - Estandarte

2 comentários:

Lupe disse...

Oi, Fred!
Legal seu blog!

Obrigada pelo comentário sobre meus livros!
Sabia que já trabalhei no DM?

Abs!

Consumindo Realidade disse...

Acredito que o Skank já fez discos melhores, mas não fica tão para trás.